Resposta à Ana sobre imortalidade e reencarnação

Olá!


 

Você perguntou sobre a reencarnação e a imortalidade da alma.

Vale a pena um histórico bem resumido.

No século XIX aconteceram, em diversas partes do mundo, fenômenos estranhos batizados de "raps", nos Estados Unidos e "mesas girantes", ou "mesas falantes" na Europa.

Eram sons sem causas físicas aparentes (nos EUA) e movimentos de mesas e objetos sem causas físicas aparentes (na Europa).

Algum tempo, e muita pesquisa depois, se chegou à conclusão de que se tratava de fenômenos causados por Espíritos, ou seja, por almas dos homens e mulheres que habitaram a Terra e agora estavam mortos. Aliás, vivos... bem vivos. E eles mesmos disseram isso, através das batidas que, por convenção, representavam letras e palavras (tiptologia).

Seria a imortalidade uma novidade? Não. Todas as religiões defendem isso, e algumas filosofias também.

A questão é que Allan Kardec chega ao cenário destes fenômenos, em Paris, dando a eles tempo e cuidado científico.

Desta forma, o que antes era propriedade da Religião e da Filosofia passa ao domínio da ciência. Ciência não aceita pelo mundo acadêmico, obviamente, pois coisas ligadas à sobrevivência da alma após a morte são encaradas como superstição. Mas ciência séria e profunda: a ciência espírita.

Então podemos dizer que no século XIX, com o método criado por Allan Kardec, se comprova a imortalidade da alma.

Aí partimos pro segundo ponto da sua pergunta: a reencarnação.

A reencarnação não foi comprovada pelo Espiritismo, mas através dele se obteve essa informação por parte dos Espíritos.

Via mediunidade, os Espíritos disseram que a reencarnação é uma realidade. É através dela que vivemos diversas experiências... crescemos, acertamos, erramos...

Diante das duas possibilidades "unicidade da existência" (vivemos uma só vez) e "pluralidade das existências" (vivemos múltiplas reencarnações), Allan Kardec julga mais coerente, com o corpo de informações que estava obtendo com as experiências e com os próprios Espíritos, a segunda opção.

É claro que essa exposição breve não soluciona muitas questões.

Então as aguardo, as questões, para conversarmos mais.

Abraço!


 


 


 


 


 


 

Conceitos: Alma, Espírito, Perispírito, Homem

"14 - A união da alma, do perispírito e do corpo material constitui o homem; a alma e o perispírito separados do corpo constituem o ser chamado Espírito.

Nota - A alma é, assim, um ser simples; o Espírito um ser duplo e o homem um ser triplo. Seria, pois, mais exato reservar a palavra alma para designar o princípio inteligente, e a palavra Espírito para o ser semi-material formado desse princípio e do corpo fluídico. Mas, como não se pode conceber o princípio inteligente isolado de toda matéria, nem o perispírito sem estar animado pelo princípio inteligente, as palavras alma e Espírito são, usualmente, empregadas indiferentemente uma pela outra; é a aparência que consiste pelo todo, da mesma forma que se diz de uma vila que ela é povoada por tantas em tomar a parte almas, um povoado de tantas casas; mas, filosoficamente, é essencial diferenciá-las."


O que é o Espiritismo